Lazinho da Fetagro reafirma posicionamento contrário à volta de aulas presenciais

Coronavírus

O deputado estadual Lazinho da Fetagro (PT), presidente da Comissão de Educação e Cultura da Assembleia Legislativa, voltou a manifestar seu posicionamento contrário a volta às aulas presenciais, em audiência pública realizada pela Secretaria de Estado (Seduc), na manhã desta terça-feira (27), de forma virtual.

A audiência pública informou à comunidade escolar e à sociedade em geral sobre as ações que estão sendo realizadas pelo Governo do Estado, para o possível retorno das aulas. Uma importante iniciativa foi a realização de uma enquete, durante o evento, para avaliar o nível de informação sobre o assunto que a sociedade detém, bem como sua opinião sobre a volta ou não das aulas.

O deputado externou mais uma vez sua opinião de que ainda não há forma de garantir absoluta segurança para o não contágio da Covid-19 aos alunos, professores, funcionários e a toda comunidade escolar, mesmo com o cumprimento de medidas sanitárias nos estabelecimentos de ensino. “Não estamos prontos para levar nossas crianças com segurança para a sala de aula. É preciso então muita cautela e responsabilidade, e, por isso, essa audiência é tão importante e pertinente”, disse.

Ainda de acordo com o parlamentar, “as discussões devem seguir e na assembleia legislativa seremos responsáveis com esse tema e encaminhar o que a maioria entender ser adequado e seguro”.

Coordenada pelo secretário de estado da Educação, Suamy Vivecananda, a atividade reuniu Assembleia Legislativa, Ministério Público de Rondônia, Conselho Estadual de Educação, Associação de Conselheiros Tutelares, União dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime), Agência Estadual de Vigilância em Saúde (Agevisa), Tribunal de Contas, Ministério Público de Contas, Defensoria Pública, Tribunal de Justiça, Associação Rondoniense dos Municípios (Arom) e sociedade em geral.

O secretário destacou a relevância da participação de todos no debate para o possível retorno das aulas presenciais, assim que os órgãos competentes atestarem que o ambiente escolar estará seguro para receber alunos e servidores.

 

 

 

Texto e foto: Assessoria

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA