PF cumpre mandados em investigação sobre concessão de auxílio reclusão

Coronavírus

Porto Velho, RO – Cinco mandados de busca e apreensão estão sendo cumpridos pela Polícia Federal na manhã desta quinta-feira (16), no município de Jaru com a deflagração da Operação Novo Confinamento, desencadeada para apurar fraudes na concessão de auxílio-reclusão, entre outros benefícios previdenciários.

Os mandados expedidos pela Justiça Federal em Porto Velho estão sendo cumpridos em residências, e em dois escritórios um de atendimento a demandas previdenciárias e outro de advocacia.

A Polícia Federal, em conjunto com o Instituto Nacional de Seguridade Social, identificou o envolvimento de servidor do INSS, que atuava junto com a filha, uma colaboradora e um advogado, na concessão de benefícios sem o preenchimento dos requisitos previstos na legislação previdenciária, em troca de vantagem patrimonial ilícita.

Segundo a Polícia Federal, trata-se da segunda fase da investigação iniciada com a Operação Confinamento, e decorre da análise dos materiais apreendidos como aparelhos celulares e documentos da ação ocorrida no dia 5 de março deste ano.

Durante as investigações, foi deferida a prorrogação do afastamento de um servidor público das suas funções, por mais 60 dias, até conclusão dos trabalhos, além dos 90 dias iniciais.

Os investigados nessa fase eram responsáveis por recrutar as pessoas que receberiam os benefícios fraudados, cujas adulterações eram efetivadas pelo servidor do INSS. O prejuízo estimado até o momento supera a casa dos R$ 2 milhões.

Os indiciados responderão pelos crimes de estelionato previdenciário, inserção de dados falsos em sistema de informações, corrupção ativa, corrupção passiva, lavagem de dinheiro e associação criminosa.

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA