POLICIA MILITAR, BOMBEIROS E PREFEITURA REALIZAM OPERAÇÃO CONJUNTA NO `SHOPPING´ DE ROLIM DE MOURA

O Comandante do 10º Batalhão, Major Thiago Campos, explicou que a operação acontece em parceria com os órgãos de fiscalização e fazparte das ações de final de ano,visando garantir segurança aos rolimourenses.

Buscando segurança para a população de Rolim de Moura (RO), a Polícia Militar (PM), Bombeiros e Prefeitura,representada pelos fiscais de obra e postura, tributária, meio ambiente e vigilância sanitária, realizaram uma megaoperação conjunta em alguns pontos comerciais da rodoviária do município, popularmente conhecida por “Shopping”.  A operação iniciou nas primeiras horas da manhã desta sexta-feira, (27/12), com concentração no 10ª Batalhão de Polícia Militar, onde foram passadas as orientações aos integrantes.

O Comandante do 10º Batalhão, Major Thiago Campos, explicou que a operação acontece em parceria com os órgãos de fiscalização e fazparte das ações de final de ano,visando garantir segurança aos rolimourenses. “É uma ação conjunta da Polícia Militar, Ministério Público, Bombeiros e os órgãos de fiscalizações da prefeitura. Destacamos que a operação foi positiva, só pelo motivo de diversos órgãos trabalharem juntos. A última operação integrada aconteceu no ano de 2011 e agora essas operações surpresas serão uma prática comum”, destacou.

A operação teve como objetivo combater tráfico de drogas, busca por entorpecentes, prostituição, contrabando, análise das condições sanitárias e fiscalização do funcionamento dos locais, verificação de equipamentos de segurança para a prevenção de incêndios, laudos técnicos de segurança,  presença de crianças e adolescentes em situação de risco, abordagem com consulta em mandados de prisão em abertos, além de promover ações educativas e de orientação.

Na ocasião, um foragido da justiça foi preso e diversos suspeitos foram identificados; um estabelecimento foi interditado pelos fiscais da vigilância sanitária e alguns estabelecimentos comerciais foram notificados para efetivarem a regularização com a legislação.

“São estabelecimentos que estavam sem alvará ou sem documentação necessária para funcionamento. Eles foram notificados e terão prazo para realizar a regularização”, pontuou o fiscal da Prefeitura Marcelo Franskoviak.

Fonte: Decom/Rolim de Moura

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA