Prefeitura de Ariquemes discute propostas sobre Mobilidade Urbana

Prefeitura de Ariquemes discute propostas sobre Mobilidade Urbana

audienciaPretendendo traçar estratégias para a questão das políticas públicas sobre o Plano de Mobilidade Urbana e Rural para a região, a Prefeitura Municipal de Ariquemes através da Secretaria Municipal de Planejamento, Orçamento e Gestão (Sempog) convocou a sociedade para participar da discussão do plano de sistema de circulação urbana. As audiências, que começaram no dia 10, acontecerão até o dia 27 deste mês, na Câmara Municipal de Vereadores da cidade.

Na reunião desta última terça-feira foram elaboradas algumas propostas por intermédio do Fórum Intersetorial de Políticas Públicas (Fippsmua), de Ariquemes. Foram discutidos temas como acessibilidade (pessoas com deficiência e restrição de mobilidade, idosos, gestantes etc).

“O Plano de Mobilidade Urbana que estamos viabilizando se trata de um estudo, onde foram criadas cinco câmaras temáticas que irão discutir vários assuntos como a circulação viária, transporte e infraestrutura, para podermos trazer soluções para o problema”, explicou o secretário Municipal de Planejamento, Orçamento e Gestão, Gustavo da Cunha Silveira.

Portanto, a Sempog convoca, contudo, além dos demais setores, a população em si, para que haja uma forma mais abrangente de se estudar o Plano de Mobilidade diante da realidade do Município.

“Por este motivo é que precisamos do esforço da população, dos técnicos e especialistas envolvidos para que a gente consiga cumprir o prazo com a participação de todos os nichos da sociedade para a aprovação desse plano”, colocou o secretário.

A princípio, foram discutidos os aspectos de acessibilidade como condição para a utilização, com segurança e autonomia, dos espaços mobiliários e equipamentos urbanos, das edificações, dos serviços de transporte pela sociedade.

Em segunda instância, serão colocados aspectos físicos, ambientais, demográficos e ocupação do solo; número de habitantes, veículos motorizados e não motorizados, fluxo de passagem, dinâmica e econômica da cidade.

“Após as reuniões, sairemos com a aprovação de uma lei pela Câmara Municipal. Teremos até o dia 13 de Abril para enviar esta lei já aprovada, promulgada e publicada, para os Ministérios das Cidades, em Brasília, com a finalidade de captar recursos para implementar melhorias para a cidade”, concluiu.

Fonte: Diário da Amazônia

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA