Água limpa: laudo do poço no HRV aponta pureza da água utilizada no Hospital

Denúncia infundada é desmentida por estudo realizado por laboratório independente

 

A Prefeitura divulgou nesta sexta-feira, dia 5, o laudo de análises da água do poço que abastece o Hospital Regional de Vilhena (HRV). As denúncias infundadas davam conta de que a água estaria contaminada, porém, o estudo de laboratório independente confirmou a pureza da água.

 

“Temos um cuidado extremo com todas as nossas ações na Prefeitura. Se há algo errado, estamos trabalhando para resolver e aceitamos as críticas. Mas denúncias infundadas ou falsas são uma injustiça muito grande com todos, pois, além de confundir a população, as mentiras exigem que movimentemos uma estrutura oficial gastando recursos públicos a fim de averiguar, investigar e prestar contas a todos que ficam preocupados com as situações criadas”, explica o prefeito Eduardo Japonês.

 

Vários órgãos foram acionados por um anônimo que fez denúncia ao Ministério Público Federal. O anônimo garantiu que a água do poço do HRV estaria contaminada e que seria imprópria para consumo. A partir de então o Saae (Serviço Autônomo de Água e Esgoto), a Polícia Federal, a Prefeitura Municipal, a direção do hospital, a Secretaria Municipal de Saúde e outros órgãos se envolveram no suposto problema.

 

Contudo, nesta sexta-feira, o laudo emitido pelo laboratório Control, de Cuiabá (MT), confirmou que não há coliformes fecais na água e que o líquido está próprio para consumo atendendo aos padrões estabelecidos pela legislação do Ministério da Saúde.

 

Iniciados antes da denúncia, os trabalhos para ampliação do abastecimento de água do Hospital estão em andamento. Inclusive, como explicado pelo HRV em junho, um pregão eletrônico realizado no dia 24 do mês passado foi responsável pela aquisição de um novo reservatório de água que já chegou e está sendo instalado nesta semana na unidade hospitalar.

 

“Esse novo reservatório vai ser ligado à rede de água fornecida pelo Saae e agora poderemos conectar o sistema de abastecimento do hospital à rede tratada, diretamente. Poderemos alternar o fornecimento quando precisarmos fazer manutenção do poço, ou vice-e-versa. É algo que nunca houve e que agora oferece ainda mais segurança, qualidade e capacidade na água disponibilizada aos pacientes e servidores”, explica Afonso Emerick, secretário municipal de Saúde.

 

Semcom

 

Legenda

LAUDO comprova: água usada no Hospital Regional não tem coliformes fecais, ao contrário do que dizia denúncia de anônimo

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA