Equipamento é colocado para funcionar e no 1° mês realiza cerca de 600 exames no HRV

Gestão eficiente: tempo de resultados de exames caiu de 60 dias para 1 dia

Cerca de 600 pacientes foram beneficiados nos últimos 30 dias, desde quando foi colocado para funcionar o equipamento de diagnóstico Cobas E 411, do laboratório do Hospital Regional. O aparelho identifica a presença de várias doenças instantaneamente e agora trabalha sem parar, apesar de ter sido entregue em gestões passadas.

Complexo, o equipamento é capaz de analisar o sangue dos pacientes automaticamente e, em minutos, oferecer o resultado para diversos exames, como toxoplasmose, rubéola, HIV, hepatites, anemia, marcadores cancerígenos, tumorais e cardíacos, PSA, bem como hormônios da fertilidade e tireoideanos.

“É um equipamento fantástico que colocamos para funcionar há um mês. De lá para cá conseguimos realizar cerca de 600 exames de amostras de sangue, com diversos resultados individuais para estas doenças em cada um. Antes as coletas precisavam ir para Porto Velho ou até São Paulo. Agora é instantâneo, de graça e confiável”, explica a bioquímica e responsável técnica pelo laboratório do HRV, Roberta Matos.

Os materiais coletados são arquivados em uma soroteca para posteriores contraprovas e têm seus exames laudados em até 7 dias. A comodidade está disponível para pacientes internos do hospital e também para os usuários dos postos de saúde.

Mantida através de comodato, a máquina tem manutenção e reagentes bancados pela empresa contratada. A intenção das especialistas do laboratório é que a prevenção adequada que pode ser feita através dos exames mais rápidos melhore a Saúde de muitos por evitar que as doenças se desenvolvam. Uma das consequências é, obviamente, a diminuição no número de complicações que chegam ao próprio hospital.

ABERTURA AO PÚBLICO – O Laboratório Municipal de exames clínicos onde a máquina está deverá ser aberto logo no início do ano. A área de recepção já está construída e tem a porta de entrada voltada para a avenida Jô Sato. A estrutura conta com uma sala própria para coleta dos exames e também sala de espera.

Finalizado há vários anos, o prédio nunca foi utilizado e hoje serve de depósito improvisado. Pequenos reparos serão feitos na estrutura, bem como limpeza geral, e o laboratório deve passar a receber os pacientes de dentro e de fora do hospital em breve.

Semcom

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA