Capoeiristas e Fundação Cultural comemoram Dia Nacional da Consciência Negra em praça

Praticantes do esporte lembraram a data com comemoração esportiva e cultural

 

O professor de capoeira Odair Belarmino, o popular Kisuco, junto com a Fundação Cultural de Vilhena (FCV), realizou na noite de ontem uma ação esportiva-cultural na Praça do Geraldão, na avenida Paraná, em alusão ao Dia Nacional da Consciência Negra. O evento contou com a participação de vários capoeiristas e chamou a atenção do público.

 

Fruto da interação entre a cultural brasileira e os costumes afro, a capoeira se desenvolveu no país como uma atividade predominante entre a população negra. A comemoração da noite de ontem entrou no programação geral do aniversário de 41 anos de Vilhena.

 

A apresentação chamou a atenção do público do local, que parou para assistir a habilidade dos esportistas. “A capoeira é uma manifestação cultural importante e, aqui na cidade, temos a honra de contar com praticantes dedicados que ajudam a transformar a sociedade através da prática de esportes, da valorização das tradições e da divulgação cultural de nossos costumes”, explica Kátia Valléria, presidente da FCV.

 

Kisuco é líder do projeto de capoeira do Núcleo de Atividade Social da Cultura Escrava (Nasce), no estádio Geraldão. “Queremos ajudar na construção de cidadãos, permitindo que eles tenham acesso a melhores fontes culturais, sensação de pertencimento e ainda possam melhorar a saúde, a coordenação motora e as relações interpessoais”, explica o professor.

 

Direcionado a público de várias idades, o projeto envolve cerca de 50 participantes e acontece em vários horários.

Semcom

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA