Prefeitura elenca prioridades de tribos em reunião com a Funai e indígenas locais

O prefeito Eduardo Japonês recebeu em seu gabinete representantes da Funai (Fundação Nacional do Índio) e diversos indígenas de tribos da região para discutir melhorias nas estradas que ligam as aldeias até a cidade e propostas que incluam a valorização da cultura indígena na cidade.

 

De acordo com o representante da Funai em Vilhena, Abrhão Negreiros, muitas aldeias têm produção agrícola e sofrem prejuízo pelas más condições das estradas rurais. Além disso, os índios têm dificuldade a ter acesso a Saúde e Educação, pelo mesmo motivo.

 

Negreiros solicitou também parceria para a valorização da cultura indígena e, na presença da presidente da Fundação Cultural de Vilhena (FCV), Kátia Valléria, foi cogitado a participação de um nativo diretamente na FCV.

“Os japoneses, em geral, dão muito valor aos costumes e à cultura de sua terra natal, por isso eu simpatizo com o desejo de vocês em manter a cultura indígena viva e forte. Além disso me preocupo com a comercialização de seus produtos e o acesso das crianças à escola. Podem contar comigo e com a Prefeitura para andar lado a lado com vocês. Vocês também fazem parte da nossa história e da nossa comunidade”, garantiu Japonês.

 

Eduardo se comprometeu também em elencar as prioridades para atender as aldeias com o que for mais urgente primeiro. “Eles têm direito a ter acesso aos serviços básicos que oferecemos a todos em nosso município também. Vamos estudar quais as medidas mais importantes que podemos tomar de forma rápida, para atender aos pedidos”, explicou Japonês.

 

“Agradecemos pela atenção do prefeito, já que há anos tentamos essa atenção da Prefeitura. Viemos aqui muitas vezes e, mesmo eu sendo presidente da fundação aqui no município, nunca tive essa recepção, consideração e respeito com meu trabalho. Muito obrigado”, completou Abrhão.

 

Ainda ficou decidido que a Secretaria de Agricultura e Obras, sempre que forem a regiões próximas às aldeias, deverão consultar os indígenas sobre as necessidades da aldeia para que as máquinas, que já estarão no local, realizem trabalhos para as comunidades dos nativos.

 

Semcom

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA