Presidente da Câmara apoia APAC: Sistema Prisional tem se mostrado eficaz na reintegração de ex-detentos na sociedade

Na noite da última sexta-feira, 18, a Câmara de Vereadores sediou mais uma audiência pública da Associação de Proteção e Assistência a Condenados – APAC.

Estiveram presentes diversas autoridades políticas, além de juízes e promotores, entre as autoridades estavam o vice-prefeito Darci Cerutti, o presidente da Câmara Adilson de Oliveira (PSDB), o vereador Wilson Tabalipa (PV), Juiz de Direito Adriano Lima Toldo, os promotores de justiça Elício de Almeida e Silva e Paulo Lermen, além do deputado estadual Luizinho Goebel (PV) entre outros.

“Após a primeira reunião da APAC, eu estudei mais a fundo sobre o sistema e posso dizer que a vinda dele para Vilhena será de extrema importância e a Câmara prestará todo apoio”, disse Adilson de Oliveira.

CUSTO BAIXO DA APAC

A APAC trata-se de uma organização civil sem fins lucrativos que trabalha com um modelo humanizado de tratar detentos buscando sua recuperação e reintegração à sociedade. O método foi criado em 1973 e hoje se encontra presente em 27 países.

No Brasil a APAC teve seu início em Minas Gerais e se tornou referência na recuperação de detentos. A taxa de reincidência por parte dos detentos que passam pelo método é de apenas 10%.

Na APAC voluntários e os próprios internos são responsáveis pela manutenção do local, sem o uso de agentes penitenciários ou policiais.

Outro ponto de destaque da APAC é o custo por preso mensalmente que vária de R$ 600 a 1000, sendo que no Brasil o menor custo por preso é no Estado de São Paulo, onde cada detento custa aos sofres públicos R$ 1.450,00.

DICOM – Câmara de Vilhena
COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA